Fazer testes de usabilidade com colegas de trabalho: funciona ou não?

Na pesquisa sobre técnicas de pesquisa com usuário que fizemos recentemente, perguntamos às pessoas que fazem testes de usabilidade em sua empresa hoje como elas costumam fazer.

pesquisa_comofazemtestes



Pelo gráfico acima, podemos ver que testes de usabilidade informais são os mais comuns: a pessoa chama alguém da própria empresa e pede para testar o produto. 20% das pessoas que responderam a nossa pesquisa disseram só fazer testes de usabilidade dessa forma na empresa onde trabalham.

Não é difícil imaginar o porquê: é muito mais fácil recrutar pessoas que já estão ali. Os participantes não precisam se deslocar e podem estar mais dispostos a ceder o seu tempo para ajudar em um projeto dos colegas. Sai mais barato recrutar (não é preciso um serviço externo) e recompensar os participantes (em muitos casos nem precisa de recompensa – um cafezinho pode ser o suficiente).

Mas fazer com quem está por perto nem sempre é o ideal. Em testes de usabilidade – como em qualquer pesquisa com usuários – é importante falar com pessoas que estão dentro do perfil do seu público-alvo. Será que seu colega está no perfil? E será que o fato de ele ser um funcionário da empresa pode afetar os resultados? Spoiler: pode.


Motivos para não fazer testes de usabilidade com funcionários da sua empresa

Fazer testes com colegas de trabalho é bem prático, mas tem lados negativos. Em um artigo no Blog do Nielsen Norman Group, a autora Angie Li cita os motivos porque você não deve recrutar funcionários para testes de usabilidade.

  • Funcionários já têm mais conhecimento prévio sobre a empresa. Conhecem o jargão da área e objetivos de negócio e com esses conhecimentos podem ter mais facilidade para realizar as tarefas do teste.
  • Eles podem conhecer o projeto que você está querendo testar (e já vir com uma opinião pré-formada sobre o assunto)
  • Funcionários tem mais motivação para usar o produto do que pessoas “de fora”. Isso facilita na hora de recrutar, mas pode afetar bastante os resultados: você vai receber mais opiniões positivas do que receberia.
  • Ao mesmo tempo em que estão motivados, eles podem se sentir pressionados a completar as tarefas, porque o interesse da empresa está em jogo (isso se não confundirem o teste de usabilidade com um teste de aptidão que o chefe pediu para fazer).
  • Se os participantes conhecem as pessoas que estão conduzindo o projeto, isso pode influenciar a opinião sobre o produto. Além disso, algumas pessoas se sentem mais à vontade sendo observados por desconhecidos do que por colegas de trabalho (que podem comentar sobre o assunto depois, em uma mesa de bar).
  • Como estão dentro da empresa, eles podem ter uma noção do que é o melhor caminho a tomar, considerando custos e benefícios, limitando as sugestões ao que é possível tecnicamente ou para os objetivos de negócio da empresa.


Em que situações você deve fazer testes de usabilidade com funcionários da minha empresa?

O artigo cita também alguns casos em que o teste interno pode ser mais adequado do que chamar participantes de fora:

  • Se você está testando uma intranet ou sistema de uso interno. Daí não tem jeito: tem que chamar os funcionários que serão usuários do sistema. Para limitar o viés, procure encontrar pessoas que não estão muito próximas do projeto.
  • Pra fazer um pré-teste antes de começar as sessões de teste com participantes externos.
  • Se você precisa convencer a empresa de que fazer testes de usabilidade é importante, pode valer a pena começar com testes internos, que têm um custo menor.
  • Se o produto é muito confidencial e pode ser arriscado fazer com pessoas de fora da empresa.


Se você decidir fazer um teste com colegas, algumas sugestões…

Seja porque o seu teste de usabilidade se encaixa em um dos cenários acima ou não, temos algumas dicas para recrutar e conduzir os testes com seus colegas:

  • Deixe claro para o participante que ele não está sendo testado e que o desempenho dele não vai afetar o trabalho do dia-a-dia. Você não vai contar para o chefe dele que ele não sabia acessar o banco de horas pela intranet, por exemplo.
  • Procure pessoas fora do seu círculo de amigos, que podem estar pré-dispostas a elogiar.
  • Procure pessoas que trabalham em áreas fora de design e produto. Chame alguém do RH, do financeiro, da recepção ou mesmo o porteiro do prédio. Se o prédio é comercial e tem várias empresas, que tal visitar os vizinhos?
  • Prefira pessoas que foram contratadas há pouco tempo. Elas são um pouco mais “isentas”, sem informações privilegiadas e jargões da empresa. Mas deixe claro que não é um teste, nem entrevista de emprego e muito menos um trote de funcionários veteranos.

Vale lembrar: qualquer pesquisa com usuários é melhor do que pesquisa nenhuma… mas tente pelo menos fazer com as pessoas certas. 😉

Veja o artigo completo do Nielsen Norman Group.

Quer fazer testes com pessoas “de fora”, mas não sabe como? No TESTR nós temos um base de participantes e podemos recrutar pra você. Os testes são online e os participantes respondem de casa, de seu próprio computador – é o mais próximo possível de uma situação real de uso. E se você precisar de um recrutamento especial, com critérios diferentes do que temos em nosso sistema, fale conosco que damos um jeito!

Veja os resultados da pesquisa sobre teste de usabilidade no Brasil

Foto do post: série The Office (Estados Unidos).


Also published on Medium.